Peniel - Face a Face com Deus

PENIEL é estar FACE A FACE COM DEUS. Biblicamente falando foi quando Jacó lutou com Deus (ou com um anjo) , dizendo:" não te deixarei ,enquanto não me abençoares". Quer ser abençoado? Busque ao Senhor!!! Não pelo que Ele pode dar, mas pelo que Ele é. As bençãos vos serão acrescentadas.


Anos atrás, nos Estados Unidos, a suspeita de envenenamento por um medicamento contra dor largamente consumido causou pânico em toda a nação. A indústria farmacêutica fabricante do produto assumiu inteira responsabilidade e imediatamente lidou com o problema, gastando grandes somas de dinheiro no processo. Os executivos da empresa estavam determinados a fazer o que era correto, não importando os custos.
Embora não fosse esse o objetivo, a reação imediata e honesta da empresa trouxe resultados positivos. A integridade com que agiram nessa difícil situação resultou no desenvolvimento e fortalecimento de sua credibilidade, contribuindo para a escolha da empresa como a de melhor reputação em 2001, segundo o "Wall Street Journal", respeitado jornal de negócios.
É interessante comparar essa empresa com outra que aparece no fim da lista do mesmo jornal, por ordem de "reputação". Essa última, fabricante de pneus, também passou por uma crise relacionada com pneus defeituosos que causaram acidentes com vítimas fatais. Ao contrário da outra, seus executivos escolheram fazer jogo e lançar culpa em todas as direções. Foi atribuída a todo o mundo menos ao verdadeiro acusado. Processos legais levaram anos e mesmo tendo feito acordos financeiros, as vítimas e seus familiares continuaram abrigando sentimentos hostis contra a empresa.
Em sua opinião, qual foi a abordagem correta? Aceitar a própria culpa e agir prontamente para fazer as reparações necessárias, na medida do possível, ou passar a "batata quente" para outros, recusando-se a assumir a própria responsabilidade e acusando todo mundo, exceto os verdadeiros culpados?
Na Bíblia, o livro de Provérbios 22.1 proclama: "A boa reputação vale mais que grandes riquezas; desfrutar de boa estima vale mais que prata e ouro." Quando o valor de uma empresa é estimado, a avaliação recai sobre fatores como ativos, passivos, produtividade e participação de mercado. Como seria possível valorizar algo tão intangível quanto uma boa reputação?
A verdade é que uma boa reputação não tem preço. Embora extremamente difícil de se conquistar, perde-se com muita facilidade. O mesmo se aplica a indivíduos. Uma pessoa pode passar toda a carreira ? o tempo de toda uma vida ? trabalhando para construir sólida reputação, bom nome com integridade, honestidade, sinceridade, imparcialidade e altruísmo. E tudo isso pode ser destruído em um instante, por uma mentira, uma transigência com a ética, uma decisão irracional ou um ato imoral.
Uma vez manchado, não há dinheiro capaz de restaurar o bom e respeitado nome de uma empresa ou de uma pessoa. Somos lembrados por Provérbios 25.9-10: "Procure resolver sua causa diretamente com o seu próximo, e não revele o segredo de outra pessoa, caso contrário, quem o ouvir poderá recriminá-lo, e você jamais perderá sua má reputação."
(Autor Desconhecido)


Alguns anos atrás, em um dia quente de verão, um garoto decidiu ir nadar no lago que havia atrás de sua casa.
Na pressa de mergulhar na água fresca, foi correndo pela porta traseira e deixando para trás os sapatos, as meias e a camisa, se jogou na água e ficou nadando feliz, não percebendo que enquanto nadava para o meio do lago, um jacaré estava deixando a margem e entrando na água.
Sua mãe, em casa, olhava pela janela enquanto os dois estavam cada vez mais perto um do outro.
Com medo absoluto, correu para o lago, gritando para seu filho tão alto quanto poderia. Ouvindo sua voz, o pequeno se alarmou, fez um giro e começou a nadar de volta para sua mãe.
Era tarde.
Assim que a alcançou, o jacaré também o alcançou.
Das margens, a mãe agarrou seu menino pelos braços enquanto o jacaré arrebatou seus pés.
Começou um cabo-de-guerra incrível entre os dois. A mulher lutava determinada, com toda a força do seu coração.
O jacaré era muito mais forte do que a mãe, mas a mãe era por demais apaixonada para deixa-lo ir.
Um fazendeiro que passava por perto, ouviu os gritos, pegou uma arma e disparou no jacaré.
De forma impressionante, após semanas e semanas no hospital, o pequeno menino sobreviveu e, ainda que suas pernas tenham sofrido bastante, ele pôde voltar a caminhar.
Um repórter de jornal que entrevistou o menino após o trauma, perguntou-lhe se podia mostrar suas cicatrizes.
O menino levantou o lençol e mostrou seus pés.
E então, com óbvio orgulho e arregaçando as mangas ele disse ao repórter: - Mas as que você deve ver são estas.
Eu tenho grandes cicatrizes em meus braços, também.
Eu as tenho porque minha mãe não me soltou e salvou minha vida.
Você e eu podemos nos identificar com esse pequeno menino.
Nós também temos estas cicatrizes.
Não, não a de um jacaré, ou qualquer coisa assim tão dramática. Mas as cicatrizes de um passado doloroso, algumas foram causadas por nossos pecados, por pequenas ou grandes falhas, por desobediência, porém algumas foram das unhas de Deus que nos segurou com força para que não caíssemos nas garras do mal. E enquanto você se esforçava, Ele estava lhe segurando.
Deus te abençoe sempre...
... mas lembra que se alguma vez doeu tua alma, foi porque Deus te agarrou bem forte para que não caísses.
(Autor Desconhecido)


A vida não é uma questão de quilômetros acumulados, mas de momentos. Rose Kennedy
Você tem perseverado através da escuridão e dos tempos difíceis. Você tem tomado cada desafio e os tem superado inúmeras vezes na sua trajetória de vida. E agora quando você está perto de alcançar o seu alvo, quando tudo parece estar a seu favor, um grande retrocesso toma lugar e o nocauteia.
O mais importante agora é não desistir, é absolutamente essencial continuar em frente. Apanhe os cacos, não importa quão desencorajado você esteja. Agora é a oportunidade de atravessar esse momento e entrar na dimensão onde o sucesso é virtualmente assegurado. O que você tentaria realizar se soubesse que não poderia ser impedido? Vá em frente. Não desista. Não importa qual seja o obstáculo à sua frente, isso só tornará a sua realização ainda mais preciosa. Esse é o momento da verdade.
Para Meditação: De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos. II Corintios 4:8-9
(Autor Desconhecido)


"Eu não pude evitar." "O diabo me levou a fazer isso." "A tentação foi grande demais." Você já ouviu ou usou desculpas como estas para justificar decisões erradas ou comportamentos impróprios?
Todos nós provavelmente já. Alguém que conheço gosta de dizer: "Posso resistir a tudo, menos à tentação". Embora saibamos o que devemos ou não fazer, freqüentemente optamos pelo oposto.
Uma palavra para descrever isso, um termo que muitos detestam é - pecado. E que pode ser definido como "errar o alvo": saber o que é certo e escolher o que é errado!
Uma das razões é que somos todos os dias bombardeados por tentações. Nos negócios, somos tentados a adotar atalhos ou usar meios enganosos para atingir metas, exagerar a qualidade ou o valor de um produto, ou a capacidade de nossa empresa realizar os serviços que o cliente deseja. Alguns se rendem à tentação em sua busca por promoção. Relatórios de despesas representam uma tentação em si mesmos.
Em nossa vida pessoal somos confrontados por várias tentações: expressar ira de modo impróprio; abusar verbal ou fisicamente de outras pessoas; transigir nos votos matrimoniais por infidelidade ou pensamentos imorais; beber ou comer demais; trapacear em jogo amigável de cartas; esquecer algumas tacadas no jogo de golfe; violar o limite de velocidade por estarmos atrasados para uma reunião; e assim por diante.
Tentação em si não é problema. A Bíblia diz que até mesmo Jesus "como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado" (Hebreus 4.15). Ser tentado é ser apresentado à oportunidade de pecar. Pecar é agir de acordo com a tentação, é escolher conscientemente não resistir à oportunidade. Alguém disse: "Se o pecado não fosse divertido, nós não iríamos querer pecar!"
Um dos escritores do Novo Testamento, na Bíblia, admitiu que ele lutava com o pecado. "Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo" (Romanos 7.18-19). Se líderes como Paulo lutaram com o certo e o errado, que esperança há para nós? Segundo a Bíblia há grande esperança: Todos pecamos e isto faz parte de nosso DNA espiritual. A Bíblia diz que o gene do pecado tem sido passado por todas as gerações desde Adão. Não estamos sós nessa luta e fracassos ao lidar com a tentação. "Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3.23).
Deus jamais nos tentará a fazer o que é errado. No modelo de oração de Jesus, Ele instou Seus seguidores a pedirem a Deus que os livrassem do pecado: "E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal" (Mateus 6.13). A Bíblia também afirma: "Quando alguém for tentando, jamais deverá dizer: ?Estou sendo tentado por Deus?. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido" (Tiago 1.13-14).
Nossas tentações não são únicas e não precisamos nos submeter a elas. Podemos escolher fazer o que é errado, mas isso não é inevitável. As tentações podem ser fortes, quase irresistíveis, mas pela força de Deus podemos decidir não agir de acordo com elas. "Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; Ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, Ele mesmo lhes providenciara um escape, para que o possam suportar" (I Coríntios 10.13).
Lembre-se: quando a tentação surgir, temos um escape!
(Autor Desconhecido)


Um casal tomava café no dia das suas bodas de ouro. A mulher passou a manteiga na casca do pão e deu para o seu marido, ficando com o miolo. Pensou ela: - Sempre quis comer a melhor parte do pão, mas amo demais meu marido e, por 50 anos, sempre lhe dei o miolo. “Mas hoje quis satisfazer o meu desejo”. Para sua imediata surpresa o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe disse: - Muito obrigado por este presente, meu amor. Durante 50 anos, sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou tanto dela, eu jamais ousei pedir! Assim é a vida... Muitas vezes nosso julgamento sobre a felicidade alheia pode ser responsável pela nossa infelicidade... Diálogo, franqueza, com delicadeza sempre, são o melhor remédio.
(Autor Desconhecido)


Outro dia um amigo muito querido colocou num site de relacionamentos a figura acima e ao vê-la me senti instigada a comentar.
Não sei quem fez essa figura, mas a interrogação pede uma resposta e eu como parte do corpo de Cristo (a igreja), vou tentar responde-la.
Primeiro vamos a pergunta: O papel da igreja não é aceitar a todos?
Como coloquei no site de relacionamento, a resposta é SIM!!! Como aqui não tenho limites de caracteres como me impõe o site, vou aproveitar e dá mais ênfase. SIM, SIM, SIM, Mil vezes SIM!!!!
E complementei... - Deus ama o pecador, mas abomina o pecado. Ele está de braços abertos para receber o pecador como estás, mas recusa-se a deixá-lo como antes. O Seu desejo é que a nova criatura experimente do seu maravilhoso amor, o amor que transforma vidas e essa transformação reflete no seu exterior como a luz. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mt 5:14-16).
Após fazer essa postagem, alguém escreveu algo que muito entristeceu meu coração. Disse que meu comentário era preconceituoso, que Deus quer é o coração, que o exterior é mera convenção humana, não influencia divina. Que se muda o exterior para os homens e o interior para Deus, e coisa e tal.
Li e re-li o que escrevi e não consegui achar onde fui preconceituosa, mas pelo sim e pelo não, gostaria de discorrer um pouco mais sobre esse assunto.
Max Lucado em seu livro: “Simplesmente como Jesus”, ele afirma: Deus nos ama como nós somos, mas se recusa a deixar-nos do mesmo jeito, Ele quer que sejamos simplesmente como Jesus.
Primeiro, se uma pessoa resolve fazer parte de uma igreja deve ser porque ela reconheceu que é um pecador e deseja aceitar a Jesus como seu único e suficiente salvador.
Aceitar a Jesus implica em morte! Isso mesmo, morte do velho homem pela redenção de uma nova criatura, não mais o que foi, agora um novo caminho, um novo alvo, muito além do que podemos pensar ou imaginar. Aceitar a Jesus implica em negar todo o seu comportamento pecaminoso e viver pela fé em Jesus Cristo na graça de Deus Pai.
"Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2 Coríntios 5:17)
Releia o final do versículo. Ele diz: “...eis que TUDO se fez novo”. Tudo, não só o coração. Houve uma transformação, e ela é total, não parcial. Como bem lembrou um amigo, quando Deus transformou água em vinho, ele mudou não só o sabor, mas também a cor, composição... Ele mudou TUDO. Então não menospreze o poder transformador do Senhor. E essa transformação é total e visível, como a luz que me referi ao citar Mt 5:14-16, Não dá pra esconder, as pessoas vão poder observar no seu modo de agir, falar. Me refiro a postura de vida, do comportamento, das atitudes.
Não pense que eu estou dizendo que o coração não é importante, longe disso, o que digo é que o interesse de Deus é pelo seu coração e por toda a sua vida.
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” Pv. 4:23
No coração está a fonte dos desejos e das decisões. Seguir a Deus e conhecer os seus caminhos requer uma firme decisão de permanecermos dedicados a Ele, buscando em primeiro lugar o seu Reino e a sua justiça. O povo da atualidade geralmente considera que o cérebro é o centro diretor da atividade humana. A Bíblia, no entanto, refere-se ao coração como esse centro; “dele procedem as saídas da vida”. Biblicamente, o coração pode ser considerado como algo que abarca a totalidade do nosso intelecto, emoção e vontade.
As pessoas sabem as coisas em seus corações (Dt 8.5), oram no coração (1Sm 1.12,13), meditam no coração (Sl 19.14), escondem a Palavra de Deus no coração (Sl 119.11), maquinam males no coração (Sl 140.2), guardam as palavras da sabedoria no coração (4.21), pensam no coração (Mc 2.8), duvidam no coração (Mc 11.23), conferem as coisas no coração (Lc 2.19), crêem no coração (Rm 10.9) e cantam no coração (Ef 5.19). No coração daquele que experimenta o nascimento espiritual, Deus cria o desejo de amá-lo e de obedecê-lo. Tal amor e dedicação a Deus não podem estar separados da obediência à sua palavra (cf. Sl 119.34,69,112).
No entanto, o que vemos nos últimos dias são pessoas e até denominação que pregam uma vida onde tudo é permissivo, porque o que importa é o coração. E como já falamos anteriormente, a história não é bem assim.
Outro dia, vi num programa de televisão uma pessoa famosa no meio secular sendo entrevistada por ocasião do lançamento da revista Playboy onde foi capa. Durante a entrevista ela disse ser evangélica e a reportar indagou se podia uma evangélica pousar para uma revista masculina e como resposta recebeu exatamente esse argumento de que para Deus o que importa é o coração.
Para reforçar, vamos lembrar aqui mais um versículo que diz: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite”. Salmos 1:1-2
Mais uma vez vemos que Deus tem interesse em como você conduz sua vida, o que você faz e deixa de fazer. Pode Deus compactuar com a pornografia? Ou como muitos dizem para ameninar, o nú artístico? Como desculpa a “pessoa famosa” ainda disse que pousou porque precisava do dinheiro para sair do aluguel. Em Mt 6:25-33, aprendemos a confiar no Senhor que Ele suprirá todas as nossas necessidades.
Qual o nosso papel, como cristãos, diante da sociedade? Iluminar-lhes o caminho através de um testemunho fiel e verdadeiro. Contar-lhes o quão maravilhoso é andar na presença de Deus e desfrutar de Suas bênçãos sem medida.
Sobre a moça tatuada da foto, em nenhum momento fiz menção, porque acredito eu que a intenção foi ilustrar a figura com alguém que não está “vestido” segundo os padrões evangélicos, se é que posso me referir assim. E achei isso de menos importância comparada à interrogação que a figura trouxe. Mas nessa oportunidade gostaria apenas de dizer que é evidente que as tatuagens não vão desaparecer como um passe de mágica do corpo da pessoa que aceita a Jesus. Mas creio também que depois de um encontro verdadeiro com Cristo ela não a faria mais. Do mesmo modo que o apóstolo Paulo, as únicas marcas que deveríamos trazer em nós deveriam ser aquelas em favor de Cristo: "Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus." Gálatas 6:17. "Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR." Levítico 19:28.


A menina debruçada na janela trazia nos olhos grossas lágrimas e o peito oprimido pelo sentimento de dor causado pela morte de seu cão de estimação. Com pesar observava atenta ao jardineiro a enterrar o corpo do amigo de tantas brincadeiras. A cada pá de terra jogada sobre o animal, sentia como se sua felicidade estivesse sendo soterrada também.
O avô que observava a neta aproximou-se a envolveu em um abraço e falou-lhe com serenidade:
Triste a cena, não é verdade?
A netinha ficou ainda mais triste e as lágrimas rolaram em abundância. No entanto, o avô que desejava conforta-la chamou-lhe a atenção para outra realidade. Tomou-lhe pela mão e a conduziu para uma janela opostamente localizada na ampla sala. Abriu as cortinas e permitiu-a que visse o jardim florido a sua frente e lhe perguntou carinhosamente:
Está vendo aquele pé de rosas amarelas bem ali a frente? Lembra que você me ajudou a planta-lo? Foi em um dia de sol como hoje que nós dois o plantamos. Era apenas um pequeno galho cheio de espinhos e hoje veja como está lindo, carregado de flores perfumadas e botões como promessa de novas rosas.
A menina enxugou as lágrimas que ainda teimavam em permanecer em suas faces e abriu um largo sorriso mostrando as abelhas que pousavam sobre as flores e as borboletas que faziam festa entre umas e outras das tantas rosas de variados matizes que enfeitavam o jardim.
O avô, satisfeito pôr te-la ajudado a superar o momento de dor falou-lhe com afeto:
Veja, minha filha. A vida nos oferece sempre várias janelas. Quando a paisagem de uma delas nos causa tristeza sem que possamos alterar o quadro, voltamo-nos para outra e certamente nos deparamos com uma paisagem diferente.
Tantos são os momentos de nossa existência, tantas as oportunidades de aprendizado que nos visitam no dia-a-dia que não vale a pena sofrer diante de quadros que não podemos alterar. São experiências valiosas da vida, das quais devemos tirar lições oportunas sem nos deixar tragar pelo desespero e revolta que só infelicitam e denotam a falta de confiança em Deus.
A nossa visão do mundo é muito limitada. Mas Deus tem sempre objetivos nobres e uma proposta de felicidade para nos aguardar após cada dificuldade superada.
Se hoje você está a observar um quadro desolador, lembre-se de que existem tantas outras janelas, com paisagens repletas de promessas de melhores dias. Não se permita contemplar a janela da dor. Aproveite a lição e siga em frente com ânimo e disposição.
Agindo assim, o gosto amargo do sofrimento logo cede lugar ao sabor agradável de viver e saber que Deus nos ampara em todos os momentos da nossa vida.
(Autor Desconhecido)


Apenas um simples e pequeno evento pode acordar dentro de nós um estranho totalmente desconhecido a nós. Antoine de Saint-Exupery
Se você se vê planejando alguma coisa e dizendo a si mesmo ?só mais uma vez? cuidado! Isso significa que você está abrindo mãos de seus próprios valores. Seja lá o que for, você sabe que é errado. Quando você tem que usar a frase ?só mais uma vez? para justificar sua ação, essa é uma ótima razão para evitar aquela ação.
Não se iluda pensando que o ?só mais uma vez? irá trazer alguma coisa de valor. Você já sabe que não irá. Quando você se depara dizendo a si mesmo ?só mais uma vez? pare na sua trajetória destrutiva e diga a si mesmo: ?Deus, me ajude, eu quero continuar a ser forte.?
?Só mais uma vez? é apenas a ponta do iceberg de algo enorme que você abriu mão e o qual pode muito rapidamente aniquilar os seus melhores interesses. Renuncie ao jugo da escravidão. Seja forte nas coisas pequenas porque só assim você será bem sucedido nas coisas grandes.
Para Meditação:
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno. Salmos 139:23-24
(Autor Desconhecido)


Muitas vezes, somos tomados por uma sensação desagradável que penetra em nosso interior, invade a nossa alma e perfura o nosso coração, arrancando lágrimas. São as vivências negativas que, embora dolorosas, também fazem parte do nosso crescimento existencial e do aprofundamento da nossa espiritualidade.
Nem mesmo o Senhor Jesus foi poupado desta experiência. Chorou no Getsêmani e, cansado, disse: “Minha alma está triste até a morte”, mas tal experiência o fez mais forte e, confiando no Pai, levantou-se e caminhou para a vitória sobre a própria morte. Muitas vezes nossas lágrimas regam o solo de onde brotarão as sementes para a nossa vitória.
Toda experiência individual é uma experiência única, como diz um dito popular: “cada um sabe aonde o calo aperta”. Contudo a experiência coletiva nos aponta referenciais que ajudam nas superações do individual, por isso mesmo gostaria de refletir com você, a partir desta possibilidade, sobre a dinâmica libertadora das tristezas que invadem o nosso ser.
Em primeiro lugar, saiba que nenhuma dor dura para sempre, por isso toda tristeza é passageira. É como uma nuvem pesada, carregada de energia negativa mas, por mais densa que ela seja, não resistirá à força dos ventos. Deus também sopra sobre nós os seus ventos que trazem consigo a força da esperança, da paz e da alegria. Lembre-se então que toda estrada tem seu ponto de chegada e que toda noite rende-se à força de um novo alvorecer. Nada é para sempre, inclusive a nossa dor.
Em segundo lugar, quando penso em minha tristeza, imagino que ela é a maior do mundo, mas nisto reside um grande engano, pois a experiência tem demonstrado que embora nossa dor seja real, há sempre alguém sofrendo um pouco mais. Se outros conseguem vencer, porque então nós iremos sucumbir? A experiência libertadora dos outros são sinalizadoras de que, para nós, também haverá vitória e superação.
Finalmente, entendo que toda tristeza momentânea é prenúncio de uma grande alegria que virá. A vida nos reserva muitas surpresas e, por isso mesmo, existe uma pedagogia própria extraída das lágrimas e da dor que nos ensina o verdadeiro sabor da vitória e os caminhos da alegria. Jesus disse: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo”. E Salomão nos ensina: “O pranto pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”.
“Porque estais triste?” É uma pergunta inquietante mas não é um problema sem solução, pois “a alegria do Senhor, a nossa força é”. Esta força é que nos faz vencer o mundo. É a força da fé, é a força da alegria, a força de um Deus que nos ensina, às vezes através das lágrimas, que a vida é mais que um momento, é também a construção de um sonho e a certeza de um eterno amanhecer.
(Autor Desconhecido)


Certo homem, muito tempo atrás, possuía um automóvel modelo Ford, com o qual passeava pelas ruas de sua cidade.
Contentíssimo, o proprietário admirava-se sempre dos muitos recursos, da velocidade e maciez que seu novo veículo proporcionava. Ia assim um dia, nosso amigo, quando, subitamente, o carro parou. Em plena avenida, morreu o motor e nada o fazia pegar. De tudo tentou o proprietário: deu partida várias vezes, empurrou, abriu o capo, fechou, tornou a abrir, pediu ajuda, mas nada... nem sinal de querer funcionar. Como podia! Um carro tão bom, parar desse jeito! O homem já ia perder a paciência quando um desconhecido solicitou licença para ajudar. Desconsolado, o proprietário consentiu, sem confiar que qualquer coisa pudesse ser feita àquela altura. O estranho, porém, abriu o capo, conectou um fiozinho a uma pequena peça do motor e, com um delicado toque, completou o reparo. Suas mãos nem receberam mancha de graxa, e, dada a partida, estava perfeito o automóvel. Parece ironia... O mecânico desconhecido aproximou-se do proprietário e mostrando-lhe sua carteira de identidade, diante dos olhos curiosos de uma pequena multidão, disse: "Meu nome é Henry Ford. Eu é que fiz estes veículos e compreendo muito bem como funcionam!»
Ninguém conhece melhor uma obra do que seu fabricante. Melhor do que ninguém, Deus sabe tudo o que há no homem. Ele sabe como cada parte funciona em nós. Por que não irmos, então, em busca da sua orientação, para receber o toque que este "veículo" necessita? Por séculos, os filósofos e sábios tem tentado melhorar o homem, sem resultados, enquanto a Palavra de Deus diz que o Criador, com um único toque, regenera o coração humano e, de uma vez por todas, "faz andar o engenho". Confiemos Nele, portanto, de todo nosso coração! "Ponha sua vida nas mãos do Deus Eterno, confie Nele, e Ele o ajudará".
(Autor Desconhecido)


Num dia de verão, certo viajante vagava à procura de descanso e prazer, perto da foz de um grande rio. Chegando a hora que a maré estava baixa, ele viu uma esplêndida fonte de água cristalina, fresca e pura jorrando das rochas. Duas vezes ao dia a água salgada subia acima daquela linda fonte de água fresca, cobrindo-a totalmente. Mas quando a maré esgotava as suas forças e se retirava para as profundezas do oceano, da fonte brotava a água pura e cristalina novamente.
Se o coração do homem for realmente uma fonte do amor de Cristo, ele há de fazer brotar do seu interior a água pura e cristalina, mesmo por entre as ondas da política, dos negócios e das atividades mais variadas. E possível que a maré da vida, com seus interesses, tente suplantar e engolfar a fonte, mas o mundo esgotará as suas forças e aqueles que trazem em seu coração a presença do Espírito Santo serão sempre vitoriosos. Reaparecerão com mãos puras, corações limpos, manifestando a mente de Cristo, com a consciência livre de ofensa a Deus e aos homens.
(Autor Desconhecido)


John Ortberg cita um livro chamado Solidão, do psiquiatra inglês Anthony Storr: “Storr diz que a capacidade de criar está inseparavelmente ligada à capacidade de ficar só, e que muitas vezes as pessoas que ficaram muito tempo sozinhas na infância tornam-se extremamente criativas”. Ortberg cita uma bela frase de Edward Gibbon: “A conversa alarga o entendimento, mas a solidão é a escola do gênio”.
Bem, já que estamos citando gente, que tal prestar atenção ao conselho do gênio dos gênios: “Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto”(Mt 6.6). Ele próprio praticava isso: “Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus” (Lc 6.12). A vitalidade do seu pensamento e a irresistibilidade de suas palavras nasciam dessas horas de silenciosa comunhão com Deus.
(Autor Desconhecido)


Ora, Aquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da Sua glória, ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Judas 24 e 25.
Aninhado num penhasco de cem metros de altura, em Portugal, encontra-se um velho mosteiro. Em 1946, meus pais visitaram aquela impressionante estrutura enquanto esperavam vistos de entrada para Moçambique, então uma colônia portuguesa. Para chegar ao topo, mamãe e papai tiveram de ser amarrados a uma grande cesta de vime. Vários monges os içaram por uma roldana e uma corda presa à cesta.
Conta-se que uma vez um turista, tendo-se acomodado confortavelmente na tal cesta para o precário passeio, perguntou a um dos monges com que freqüência a corda era substituída. "Toda vez que ela se rompe", respondeu o monge.
Se nossa vida depende de algo ou de alguém, queremos ter a certeza de que essa pessoa ou coisa não nos vai deixar "cair" num momento crítico. Assim é a nossa natureza.
Nada de origem humana poderá manter-nos em pé para sempre. Mas no âmbito espiritual há Um que pode, se Lho permitirmos. A promessa é segura: "O Deus eterno é a tua habitação, e por baixo de ti estende os braços eternos." Deut. 33:27.
(Autor Desconhecido)


Deus tem sempre o melhor para você! Além das lutas e dificuldades, além de toda adversidade Deus escolheu para a sua vida o melhor. Não importa a sua dificuldade. Deus quer você como um vaso de bênçãos e unção. Ele o encherá da sua unção, da sua glória e amor. O louvor estará em seus lábios e a glória de Deus em seu redor.
Nenhuma angústia, dor, tristeza se nomeará em sua vida. O adversário virá sobre você, todavia Deus sempre será vitorioso, ainda que tirem sua visão e te empeçam de caminhar. Deus derramará da sua cura e o fará profeta das suas boas novas. Há aqueles que se afastam do louvor de Deus, por não o reconhecerem como o Criador e o verem como um juiz apenas. Deus é um Deus amoroso que deseja o melhor para nós.
O melhor de Deus: alegria, felicidade, equilíbrio, segurança, amor, vida, comunhão, louvor, libertação, abundância, em fim tudo de melhor. Dê-se para Deus, entregue-se ao seus braços, ame-o pois ele sempre o amou. Ele não o quer um derrotado, ele o quer um verdadeiro adorador!


"Os que com lágrimas semeiam, com júbilo ceifarão." (Salmos, 126.5)
Para muitos, lágrimas são um sinal de fraqueza. Mas a lágrima, na verdade, é um dos bens mais preciosos. Chorar é um escape, uma forma de esvaziar as dores da alma. Lágrimas retidas certamente endurecem o coração, devido ao acúmulo de mágoas: "Confiai n'Ele, ó povo; em todo tempo derramai perante Ele o vosso coração: Deus é o nosso refúgio." (Salmos, 62.8).
Ana, uma israelita que temia a Deus, recebeu sua bênção (a cura da esterilidade) quando derramou a sua armadura e ressentimento diante do Senhor. Estéril, era humilhada constantemente numa época em que não poderia haver maldição maior - para uma mulher - do que ter a madre fechada. Mesmo estando diante de uma situação irreversível aos olhos humanos, Ana assumiu sua situação e resolveu derramar diante do Senhor toda a sua dor, amargura e esperança...
Às vezes, choramos por auto-compaixão ou por desânimo, ao invés de chorarmos por desabafo, como quem tem intimidade com o Senhor. Ele jamais se sensibilizou diante das lágrimas da auto-compaixão, mas sempre veio ao encontro de corações sinceros e humildes. Por isso, às vezes temos a impressão de que o Senhor não escuta nossas orações. Mas Ele escuta! Escuta, e Se cala diante do nosso tom de cobrança e "zero" de humildade. Motivo porque há tantos cristãos amargos e descrentes do poder da oração! "Com amargura na alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente". Ana chorou muito; lágrimas derramadas aos pés do Senhor são valiosas - cada uma delas é recolhida e levada diante de Deus.
As lágrimas da intercessão não devem significar desespero da situação, mas o desnudar-se sem reservas da alma necessitada de Deus. O choro rega as sementes das nossas palavras: "não bebi nem vinho nem bebida forte, porém venho derramando a minha alma perante o Senhor... porque pelo excesso da minha ansiedade e da minha aflição é que tenho falado até agora." (I Samuel, 1.15,16).
Lágrimas diante do Senhor fortalecem a alma. "O meu coração se regozija no Senhor, a minha força está exaltada no Senhor; a minha boca se ri dos meus inimigos porquanto me alegro na Tua salvação..." (I Samuel, 2.1).
Lágrimas diante do Senhor prenunciam vitória para todo aquele que consegue vislumbrar, através da escuridão momentânea das nuvens, as chuvas de bênçãos que se seguem. Muitas vezes a escuridão em que nos encontramos simplesmente anuncia o iminente derramar de benção sobre nossas vidas.
Acreditemos nisso!
(Autor Desconhecido)


Certa vez, pai e filho foram voar de avião, era um avião pequeno e muito antigo, que um amigo os havia emprestado.
O filho tinha muito medo de andar de avião, e foi muito difícil convencê-lo à voar, mais depois de muita insistência, o pai o convenceu, e lá estavam .
O pai era piloto experiente, e sabia exatamente o que estava fazendo, ao contrário do filho que era medroso, e apavorava-se com qualquer coisa.
Tudo parecia tranqüilo, quando de repente veio um forte vento, e o aviãozinho começou a trepidar, o filho apavorado olhou para o pai, e ouviu como resposta : "Confie em mim".
O vento passou e inesperadamente veio uma grande chuva, e a visibilidade naquele avião era praticamente nenhuma, outra vez o filho atônito olhou para seu pai, e ouviu como resposta : “Confie em mim”.
A chuva passou, e quando tudo parecia calmo, uma fumaça negra começou a sair do motor do avião, dessa vez o filho ficou desesperado, e olhando para seu pai ouviu como resposta : “Confie em mim”.
O pai estagnou o avião, saiu da cabine do piloto e pra surpresa do filho só havia um pára-quedas.
Gaguejando o filho perguntou ao pai : “O que ... que no... nós va... vamos fa... fa... fazer” !
Serenamente o pai pegou o pára-quedas, o colocou em suas costas, e ordenou que seu filho pulasse do avião sem pára-quedas. Não havia explicação para aquela atitude, o filho não podia entender aquilo, e mais uma vez olhou para o pai e ouviu como resposta: “Confie em mim”.
Vendo que não havia mais tempo, o filho resolveu depositar a sua confiança em seu pai, e pulou do avião. Enquanto caía viu seu Pai também pular do avião, e com muita habilidade seu pai o seguia no ar como se fosse um pássaro, indo em direção ao seu filho, foi chegando perto até que finalmente o alcançou, o segurou bem firme, e abrindo o único pára-quedas, salvou a vida de seu filho, que permaneceu agarrado ao seu pai.
Às vezes somos como esse filho, apavorados, medrosos, e por muitas vezes não entendemos a vontade de nosso Pai Celestial, mas em meio à todas as adversidades, nós olhamos para o Pai e ele nos diz : "Confie em mim".
Deus é assim, ele sempre sabe aquilo que precisamos, ele sempre sabe o que é bom para nós, ainda que não tenhamos a compreensão de seus desígnios, pois eles são inefáveis, mas mesmo assim se confiarmos nele, se acreditarmos que ele cuida de nós mesmo nas dificuldades, então teremos a postura que Deus quer que tenhamos : A postura de aceitar, antes de entender.
Está sem pára-quedas ?
Agarre-se ao Pai !
Ainda que seja difícil, confie.
Ainda que seja impossível, confie.
Ainda que você não entenda, confie.
Ainda que você não encontre explicações, tão somente confie, pois como bem disse o Salmista : “Os que confiam no Senhor serão como os Montes de Sião que não se abalam, mas permanecem para sempre” (Sl.125-1).
Os que confiam no Senhor Jesus, ainda que passem por ventos, tempestades ou qualquer dificuldade, não serão abalados porque a sua confiança está naquele que sempre sabe o que faz!
Shalom !


Alguém, muito desanimado, entrou numa igreja e em determinado momento disse para Deus:
- Óh, Deus, aqui estou porque em igrejas não há espelhos. Eu odeio os espelhos, pois acho que sou a pessoa mais feia que eu conheço.
Subitamente, um folha de papel caiu aos seus pés, vinda do galeria superior do templo. Curioso, pegou o folheto, que trazia fotos de vários bichos:
* uns magricelas, outros, gordos;
* uns coloridos, outros, albinos;
* uns grandes e fortes, outros, extremamente frágeis;
* uns cabeludos, outros, carecas;
* uns mansos, outros, selvagens;
* uns bicudos, outros narigudos;
* uns rápidos, outros lerdos.
E, no final, dizia:
- Nenhuma das criações de Deus é feia. Tudo que Deus fez é bom. Inclusive eu e você!

"Todo homem tem dentro de si um vazio do tamanho de Deus!"
Dostoievski


Um rei tinha quatro esposas.
Ele amava a 4ª esposa demais, e vivia dando-lhe lindos presentes, jóias e roupas caras. Dava-lhe de tudo e sempre do melhor.
Ele também amava muito sua 3ª esposa, e gostava de exibi-la aos reinados vizinhos. Contudo, ele tinha medo que um dia ela o deixasse por outro rei.
Ele também amava sua 2ª esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência.
Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele confiava nela para atravessar os tempos de dificuldade.
A 1ª esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo que estava ao seu alcance para manter o rei muito rico e poderoso.
Mas... ele não amava a 1ª esposa e, apesar de esta o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela.
Um dia o rei caiu doente e percebeu que seu fim estava próximo.
Ele pensou em toda a luxúria da sua vida e ponderou:
"É... Agora eu tenho 4 esposas comigo, mas quando morrer, ficarei sozinho!"
Então, ele perguntou para a 4ª esposa: - Amei-a tanto, querida... A cobri das mais finas roupas e jóias. Mostrei o quanto eu a amava, cuidando bem de você. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não deixar-me sozinho?
- De jeito nenhum! - respondeu a 4ª esposa, e saiu do quarto sem sequer olhar para trás.
A resposta que ela deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca afiada.
Tristemente o rei, então, perguntou para a 3ª esposa: - Eu também amei-a tanto a vida inteira... Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não deixar-me sozinho?
- Não! - respondeu a 3ª esposa. A vida é boa demais!!! Quando você morrer, eu vou me casar de novo...
O coração do rei sangrou de tanta dor.
Ele perguntou, então, para a 2ª esposa: - Eu sempre recorri a você quando precisei de ajuda e você sempre esteve ao meu lado. Quando eu morrer, você será capaz de morrer comigo, para fazer-me companhia?
- Sinto muito... mas desta vez eu não posso fazer o que você me pede! - respondeu a 2ª esposa. O máximo que eu posso fazer é enterrar você...
Essa resposta soou como um trovão na cabeça do rei e ele ficou arrasado.
Então uma voz se fez ouvir.
- Eu partirei com você e o seguirei para onde você for!
O rei levantou os olhos e lá estava a sua 1ª esposa, tão magrinha... tão mal nutrida... tão sofrida... Com o coração partido, o rei falou: - Eu deveria ter cuidado muito melhor de você enquanto eu ainda podia...
Na verdade nós todos temos 4 esposas nas nossas vidas...
Nossa 4ª esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços que fazemos para mantê-lo saudável e bonito, ele nos deixará, quando morrermos.
Nossa 3ª esposa são as nossas posses, as nossas propriedades, a nossa riquezas. Quando morrermos, tudo isso vai para os outros.
Nossa 2ª esposa são nossa família e nossos amigos. Apesar de nos amarem muito e estarem sempre nos apoiando, o máximo que eles podem fazer é nos enterrar.
E nossa 1ª esposa é o nosso ESPÍRITO...
Muitas vezes deixado de lado, ele fica lá no fundo, esquecido, por perseguirmos durante a vida toda, a Riqueza, o Poder e os Prazeres do nosso Ego...
É nele que cabe Deus, como bem dizia Dostoievski: "Todo homem tem dentro de si um vazio do tamanho de Deus!"
Pena que muitas vezes só consideramos isso quando estamos para deixar este mundo.
Apesar de tudo, é a única coisa que sempre irá conosco, não importa onde formos, então...
Cultive-o... Fortaleça-o... Bendiga-o... E acima de tudo: alimente-o!
Dê o verdadeiro sentido à sua vida agora!!!
É o maior presente que você pode dar ao mundo e principalmente a si mesmo.
(Autor Desconhecido)


Um homem havia pintado um lindo quadro.
No dia de apresentá-lo ao público, convidou todo mundo para vê-lo.
Compareceram as autoridades do local, fotógrafos, jornalistas, e muita gente, pois o pintor era muito famoso e um grande artista. Chegado o momento, tirou-se o pano que velava o quadro. Houve caloroso aplauso. Era uma impressionante figura de Jesus batendo suavemente à porta de uma casa.
O Cristo parecia vivo. Com o ouvido junto à porta, Ele parecia querer ouvir se lá dentro alguém respondia.
Houve discursos e elogios. Todos admiravam aquela obra de arte. Um observador curioso porém, achou uma falha no quadro: A porta não tinha fechadura. E foi perguntar ao artista: - Sua porta não tem fechadura! Como se fará para abri-la?
- É assim mesmo - respondeu o pintor
- Esta é a porta do coração humano.
- Só se abre do lado de dentro.
(Autor Desconhecido)


“Então, disseram uns para os outros: Não fazemos bem; este dia é dia de boas-novas, e nós nos calamos; se esperarmos até à luz da manhã, seremos tidos por culpados”. 2 Reis 7:9
Facilmente, um mundo de coisas, mesmo sendo boas, nos consomem todo o tempo desviando-nos do reconhecido dever e desejo de nos importar com aqueles que caminham ao nosso lado. É só você verificar como está composta a sua agenda semanal para ver o estrago: tenho que estudar, colégio, faculdade, tenho que ler, tenho que fazer ginástica, tenho que praticar esportes, comparecer a todas as reuniões, telefonemas, jantares, compromissos sociais, profissionais, negócios, curso de treinamento, ensaio, os compromissos na igreja, tenho que dormir e etc, e etc, há um infinito de coisas (você viu? todas boas!).
Quanto tempo temos para investir nos nossos parentes, amigos e vizinhos? Tempo para tentar penetrar através da couraça de isolamento em que vivem (muitos, sem luz, sem a notícia da salvação eterna e da paz que excede todo entendimento.)?
O nosso tempo está passando!
São estas as palavras de um velho e experiente servo de Deus: “Se eu pudesse voltar no tempo, seria mais vigoroso contra a injustiça social e menos envolvido em festas e políticas”. (Billy Graham)
Será que não é o caso de começarmos a alterar os nossos hábitos, adotar novos hábitos, fazer uma correção de rumo? O despertador está tocando, precisamos abrir os olhos, acender a luz! Precisamos nos levantar, fazer um pouco de esforço, ou nada acontecerá. O despertador já tocou e a hora foi perdida!
Nosso tempo está acabando.
Amar como Deus nos diz que devemos amar exige um combinado de elementos espirituais e físicos. Os dons e talentos, sabedoria e tempo que têm sido depositados na conta da nossa vida não podem ser guardados em poupança. Eles só adquirem real valor quando são operados na vida do outro. Dê mais atenção ao seu vizinho! Gaste mais tempo ao lado de alguém encorajando e cuidando! Ouça, ouça mais as pessoas! Seja mais sensível para com aqueles que estão aí bem ao seu lado! Uma oração, um braço ao redor do ombro, um aperto de mão caloroso ou mesmo um abraço são redentores, tanto para as pessoas a quem oferecemos a nossa comunhão, quanto para nós mesmos.
“ (...) este dia é dia de boas-novas, (...) se esperarmos até à luz da manhã...!
Amanhã?
(Autor Desconhecido)


Só DEUS pode fazer, mas você pode colaborar.
Só DEUS pode criar, mas você pode valorizar o que Ele criou.
Só DEUS pode dar a vida, mas você pode transmiti-la e respeitá-la.
Só DEUS pode dar a fé, mas você pode dar o seu testemunho.
Só DEUS pode dar a paz, mas você pode semear a união.
Só DEUS pode dar a força, mas você pode apoiar quem desanimou.
Só DEUS pode infundir esperança, mas você pode restituir a confiança ao irmão.
Só DEUS pode dar o amor, mas você pode ensinar o seu irmão a amar.
Só DEUS pode dar alegria, mas você pode sorrir a todos.
Só DEUS é o caminho, mas você pode indicá-lo aos outros.
Só DEUS é a luz, mas você pode fazê-la brilhar no mundo.
Só DEUS é a vida, mas você pode dar aos outros a alegria de viver.
Só DEUS pode fazer o impossível, mas você poderá sempre fazer o que for possível.
Só DEUS pode fazer milagres, mas você pode fazer sacrifício.
Só DEUS pode fazer a semente do bem germinar, mas você pode plantá-la no coração humano.
Só DEUS se basta a si mesmo, mas ELE preferiu contar com você.
(Autor Desconhecido)


Tempos atrás, eu era vizinho de um médico, cujo "hobby" era plantar árvores no enorme quintal de sua casa.
Às vezes, observava da minha janela o seu esforço para plantar árvores e mais árvores, todos os dias.
O que mais chamava a atenção, entretanto, era o fato de que ele jamais regava as mudas que plantava.
Passei a notar, depois de algum tempo, que suas árvores estavam demorando muito para crescer.
Certo dia, resolvi então aproximar-me do médico e perguntei se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem, pois percebia que ele nunca as regava.
Foi quando, com um ar orgulhoso, ele me descreveu sua fantástica teoria.
Disse-me que, se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima.
Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas suas raízes tenderiam a migrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes encontradas nas camadas mais inferiores do solo.
Assim, segundo ele, as árvores teriam raízes profundas e seriam mais resistentes às intempéries.
Disse-me ainda, que freqüentemente dava uma palmadinha nas suas árvores, com um jornal enrolado, e que fazia isso para que se mantivessem sempre acordadas e atentas.
Essa foi a única conversa que tive com aquele meu vizinho.
Logo depois, fui morar em outro país, e nunca mais o encontrei.
Vários anos depois, ao retornar do exterior fui dar uma olhada na minha antiga residência.
Ao aproximar-me, notei um bosque que não havia antes.
Meu antigo vizinho, havia realizado seu sonho!
O curioso é que aquele era um dia de um vento muito forte e gelado, em que as árvores da rua estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno.
Entretanto, ao aproximar-me do quintal do médico, notei como estavam sólidas as suas árvores: praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda.
Que efeito curioso, pensei eu...
As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, levando palmadelas e tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo que com o conforto e o tratamento mais fácil jamais conseguiriam.
Todas as noites, antes de ir me deitar, dou sempre uma olhada em meus filhos.
Debruço-me sobre suas camas e observo como têm crescido.
Freqüentemente, oro por eles.
Na maioria das vezes, peço para que suas vidas sejam fáceis: "Meu Deus, livre meus filhos de todas as dificuldades e agressões desse mundo"...
Tenho pensado, entretanto, que é hora de alterar minhas orações.
Essa mudança tem a ver com o fato de que é inevitável que os ventos gelados e fortes nos atinjam e aos nossos filhos.
Sei que eles encontrarão inúmeros problemas e que, portanto, minhas orações para que as dificuldades não ocorram, têm sido ingênuas demais.
Sempre haverá uma tempestade, ocorrendo em algum lugar.
Portanto, pretendo mudar minhas orações.
Farei isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida não é muito fácil.
Ao contrário do que tenho feito, passarei a orar para que meus filhos cresçam com raízes profundas, de tal forma que possam retirar energia das melhores fontes, das mais divinas, que se encontram nos locais mais remotos.
Oramos demais para termos facilidades, mas na verdade o que precisamos fazer é pedir para desenvolver raízes fortes e profundas, de tal modo que quando as tempestades chegarem e os ventos gelados soprarem, resistiremos bravamente, ao invés de sermos subjugados e varridos para longe.
(Autor Desconhecido)

"Você não pode ser santo pela metade.
Ou você é santo, ou não é."
Teresa de Lisieux

Quando oramos, falamos com Deus;
mas quando lemos sua Palavra,
Ele fala conosco.
A medida que aumentam nossas habilidades em ‘’ouvir’’,
assim também aumenta nossas habilidades em ‘’conversar’’.
Joy P. Gage


O cara desce na estação do metrô de NY vestindo jeans, camiseta e boné, encosta-se próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal. Durante os 45 minutos que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes, ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares. Alguns dias antes Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custam a bagatela de 1000 dólares.
A experiência, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino. A iniciativa realizada pelo jornal The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte. A conclusão: estamos acostumados a dar valor às coisas quando estão num contexto.
Bell era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.
Somente uma mulher reconheceu a música....
(Autor Desconhecido)


Todas as vezes que nos deparamos com problemas em nossa vida, observamos o quanto somos frágeis. As alegrias se vão e só fica a verdade de que somos impotentes para lidar com adversidades que surgem no decorrer de nossa existência.
Deus nos deixa lições interessantes em sua criação para nos mostrar o contrário, que o homem foi criado forte e que essa força é sempre adquirida e absorvida dessas situações adversas.
Você conhece uma árvore chamada CARVALHO? Pois é, essa árvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente.
Quando querem saber o índice de temporais e tempestades ocorridas numa determinada floresta, eles observam logo o carvalho (existindo no local, é claro), que naturalmente é a árvore que mais absorve as conseqüências de temporais. Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica! Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo!
Mas não pense que os cientistas precisam fazer essas análises todas para saber isso! Basta apenas eles olharem para o carvalho. Por absorver as conseqüências das tempestades, a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força. Muitas vezes uma aparência triste! Cada tempestade para um carvalho é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça! Numa grande tempestade, muitas árvores são arrancadas, mas o carvalho permanece firme!
Assim somos nós. Devemos tirar proveito das situações contrárias à nossa vida e ficar mais fortes! Um pouco marcados. Muitas vezes com aparência abatida, mas fortes!!! Com raízes bem firmes e profundas na terra! Podemos, com isso, compreender o que o nosso PAI maravilhoso quis nos ensinar, quando disse que podemos todas as coisas naquele que nos fortalece. E também a confiança do rei Davi quando cantou: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte eu não temerei mal algum, porque TU estás comigo..." Por isso quando olhar pela janela o lindo alvorecer, lembre-se de que não há temor com os infortúnios do dia, porque DEUS está contigo! Ele o protegerá!
Se você está passando por lutas muito grandes por estes dias, pense que (como o carvalho) é só mais uma tempestade que o tornará mais forte, segundo aquele que nos arregimentou! SAÚDE, PAZ e AMOR!
(Autor Desconhecido)


"Papai, por que você está chorando?" O homem, com o rosto marcado de lágrimas, os cotovelos apoiados nos joelhos, recurvado, silencioso, nada respondia. O garoto achava estranho que um homem chorasse, ainda mais seu pai. Jamais vira-o daquele jeito. Causavam-lhe mal estar aquelas lágrimas.
Falavam-lhe de dor reprimida, de ferimento oculto. "Pai, por quê?" Junto da janela com os olhos também marejados, pensando nos três filhos, nos encargos da família, aguardava a mãe a resposta do marido. "Morreu alguém, Pai?"
"Não, filho. Ninguém morreu. Seu pai perdeu o emprego. Eu fui despedido."
Talvez esta cena seja semelhante à realidade que você está vivendo. Talvez as lágrimas agora estejam correndo pela sua face, por causa de um emprego perdido, ou a morte de alguém querido, ou a dor da separação em seu lar, ou ainda a dor de uma profunda desilusão. Queria poder ajudá-lo, mas como? Vou tentar, repartindo com você o que tenho de melhor, as promessas de Deus àqueles que nele crêem. "Fui moço e agora sou velho, mas nunca vi um homem bom abandonado por Deus e nunca vi os seus filhos mendigando o pão" escreveu Davi. "Seja forte e corajoso! Não fique desanimado nem tenha medo porque eu, o Eterno, o seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!" disse Deus a Josué em uma hora difícil. "Deixo com vocês a minha paz; a minha paz lhes dou. Não se preocupem nem tenham medo" disse Jesus antes de morrer.
Enfim o que quero dizer é: Deus se importa com você. E aquilo que ninguém pode fazer, Deus pode. Confie no Senhor. Pela fé, troque suas lágrimas pela esperança em Deus, pela paz que ele nos prometeu conceder. Experimente falar com Ele. Use toda a sua sinceridade. Se você está magoado, diga-lhe. Se está desesperado diga também. Só ele pode ser a sua verdadeira ajuda. Creia nestas promessas. Posso lhe afirmar pela minha própria experiência que elas são verdadeiras.
(Autor Desconhecido)

Nós cooperamos com Deus pela obediência, crendo que,
no momento em que andarmos nessa obediência,
o Espírito Santo nos suprirá com a força necessária.
(Sandy Smith)


Contam que um certo homem estava perdido no deserto, prestes a morrer de sede. Foi quando ele chegou a uma casinha velha – uma cabana desmoronando - sem janelas, sem teto, batida pelo tempo. O homem perambulou por ali e encontrou uma pequena sombra onde se acomodou, fugindo do calor do sol desértico. Olhando ao redor, viu uma bomba a alguns metros de distância, bem velha e enferrujada. Ele se arrastou até ali, agarrou a manivela, e começou a bombear sem parar. Nada aconteceu. Desapontado, caiu prostado para trás e notou que ao lado da bomba havia uma garrafa.
Olhou-a, limpou-a, removendo a sujeira e o pó, e leu o seguinte recado: "Você precisa primeiro preparar a bomba com toda a água desta garrafa, meu amigo. PS.: Faça o favor de encher a garrafa outra vez antes de partir". O homem arrancou a rolha da garrafa e, de fato, lá estava a água. A garrafa estava quase cheia de água! De repente, ele se viu em um dilema: Se bebesse aquela água poderia sobreviver, mas se despejasse toda a água na velha bomba enferrujada, talvez obtivesse água fresca, bem fria, lá no fundo do poço, toda a água que quisesse e poderia deixar a garrafa cheia pra próxima pessoa... mas talvez isso não desse certo.
Que deveria fazer? Despejar a água na velha bomba e esperar a água fresca e fria ou beber a água velha e salvar sua vida? Deveria perder toda a água que tinha na esperança daquelas instruções pouco confiáveis, escritas não se sabia quando? Com relutância, o homem despejou toda a água na bomba. Em seguida, agarrou a manivela e começou a bombear... e a bomba começou a chiar. E nada aconteceu! E a bomba foi rangendo e chiando. Então surgiu um fiozinho de água; depois um pequeno fluxo, e finalmente a água jorrou com abundância! A bomba velha e enferrujada fez jorrar muita, mas muita água fresca e cristalina. Ele encheu a garrafa e bebeu dela até se fartar. Encheu-a outra vez para o próximo que por ali poderia passar, arrolhou-a e acrescentou uma pequena nota ao bilhete preso nela: "Creia-me, funciona! Você precisa dar toda a água antes de poder obtê-la de volta!".
Podemos aprender coisas importantes a partir dessa breve história:
1. Nenhum esforço que você faça será valido se ele for feito da forma errada. Você pode passar sua vida toda tentando bombear algo quando alguém já tem reservado a solução para você. Preste atenção a sua volta! Deus esta sempre pronto a suprir sua necessidade!
2. Ouça atentamente o que Deus tem a te dizer através da Bíblia e confie. Como esse homem, nós temos as instruções por escrito à nossa disposição. Basta usar.
3. Saiba olhar adiante e compartilhar! Aquele homem poderia ter se fartado e ter se esquecido de que outras pessoas que precisassem da água pudessem passar por ali. Ele não se esqueceu de encher a garrafa e ainda por cima soube dar uma palavra de incentivo. Se preocupe com quem está próximo de você, lembre-se: você só poderá obter água se a der antes. Cultive seus relacionamentos, dê o melhor de si!
(Autor Desconhecido)


Dependência quer dizer submissão, subordinação, obediência, estar sujeito a alguém ou alguma coisa. Podemos dizer que depender de Deus é estar sujeito à Sua vontade e obedecê-lo em qualquer circunstância. A Palavra nos diz que a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita: E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Rm12: 2) Então por que temos tanta dificuldade em obedecer a vontade do Pai?
Obedecer é depender. Quando obedecemos à vontade de Deus, estamos exercitando a nossa fé em Cristo, mostrando que entendemos o que Deus tem preparado para nós.
Depender também é confiar: "Quem depende inteiramente de Deus com certeza confia nEle". Nós confessamos que o nosso Deus é o "Deus do Impossível", mas não queremos viver situações que fujam do nosso controle onde dependemos totalmente da obra do Senhor e não de nós mesmos.
Uma das maiores expressões de dependência de Deus é a oração. Ao orarmos, reconhecemos diante de Deus que somos fracos, pequenos e necessitamos de Sua graça e compaixão. Exemplo disso é o Salmo 31, uma oração de Davi. É como se ele dissesse a Deus: "Nas tuas mãos estão os meus dias porque sem a tua ajuda, sem a tua proteção e sem a tua providência constante em minha vida eu não tenho condições de dar um passo sequer".
Será que temos confiado em Deus a ponto de deixarmos Ele resolver os nossos problemas? Muitas vezes permitimos que os nossos problemas pareçam maiores que o nosso Deus. Não acreditamos que Ele possa resolvê-los de fato, ou então esperamos que Ele os resolva ao nosso modo. Não ousamos dizer-Lhe que faça a nossa vontade, mas Deus, que é poderoso e tremendo, sonda o nosso coração e se entristece ao ver que não confiamos nEle de verdade.
Como igreja, dependemos de Deus em tudo: na oração, na evangelização, na ação social, na consagração, na participação da Ceia entre outros. Depender de Deus significa "estar mais perto Dele".
Texto: Ana Luiza Tófano


Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão. À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, porque pensa que são importantes.
Um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas, pesa demais, então você pode escolher: ficar sentado à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil, pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Você pode ficar a vida inteira esperando, até que seus dias acabem... Ou você pode aliviar o peso, esvaziar a mala.
Mas, o que tirar? Você começa tirando tudo para fora... veja o que tem dentro: Amor, Amizade...nossa! Tem bastante, curioso, não pesa nada... Tem algo pesado....você faz força para tirar... era a Raiva - como ela pesa! Aí você começa a tirar, tirar e aparecem a Incompreensão, Medo, Pessimismo... nesse momento, o Desânimo quase te puxa pra dentro da mala ... Mas você puxa-o para fora com toda a força, e no fundo da mala aparece um Sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem. Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a Felicidade. Aí você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira pra fora a Tristeza. Agora, você vai ter que procurar a Paciência dentro da mala, pois vai precisar bastante. Procure então o resto, a Força, Esperança, Coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância e o Bom e Velho Humor.
Tire a Preocupação também. Deixe de lado, depois você pensa o que fazer com ela. Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Mas, pense bem o que vai colocar lá dentro de novo, hein! Agora é com você. E não se esqueça de fazer isso mais vezes, pois o caminho é MUITO, MUITO LONGO.
(Autor Desconhecido)


A vendedora de flores sorria; seu rosto enrugado resplandecia de satisfação. Por impulso, tomei uma de suas flores.
- A senhora se vê muito feliz esta manhã, lhe disse.
- Claro! Exclamou. -Sobram motivos.
Aquela mulher tão pobremente vestida e tão frágil que sua atitude me intrigou.
- Sobrelevava seus problemas admiravelmente, elogiei-a.
Ela então me explicou:- Quando crucificaram a Cristo, na Sexta Feira Santa, foi o dia mais triste da história. E três dias depois. Ele ressuscitou. Por isso eu aprendi a esperar três dias sempre que algo me aflige. As coisas sempre se arranjam de uma ou outra maneira nesse tempo.
Seguia sorrindo ao despedir-se de mim. Suas palavras me vêem a mente cada vez que estou em dificuldades.
"Temos que esperar"
(Autor Desconhecido)

Cristo não força a nossa vontade.
Ele só aceita o que lhe damos.
Mas Ele se entrega inteiramente
até ver que nos rendemos completamente a Ele.
( Teresa D’Ávila )


Um senhor de idade foi morar com seu filho, nora e o netinho de quatro anos de idade. As mãos do velho eram trêmulas, sua visão embaçada e seus passos vacilantes. A família comia reunida à mesa. Mas, as mãos trêmulas e a visão falha do avô o atrapalhavam na hora de comer. Ervilhas rolavam de sua colher e caíam no chão. Quando pegava o copo, leite era derramado na toalha da mesa.
O filho e a nora irritaram-se com a bagunça. "Precisamos tomar uma providência com respeito ao papai", disse o filho. "Já tivemos suficiente leite derramado, barulho de gente comendo com a boca aberta e comida pelo chão." Então, eles decidiram colocar uma pequena mesa num cantinho da cozinha. Ali, o avô comia sozinho enquanto o restante da família fazia as refeições à mesa, com satisfação. Desde que o velho quebrara um ou dois pratos, sua comida agora era servida numa tigela de madeira. Quando a família olhava para o avô sentado ali sozinho, às vezes ele tinha lágrimas em seus olhos. Mesmo assim, as únicas palavras que lhe diziam eram admoestações ásperas quando ele deixava um talher ou comida cair ao chão.
O menino de 4 anos de idade assistia a tudo em silêncio. Uma noite, antes do jantar, o pai percebeu que o filho pequeno estava no chão, manuseando pedaços de madeira. Ele perguntou delicadamente à criança: "O que você está fazendo?" O menino respondeu docemente: "Oh, estou fazendo uma tigela para você e mamãe comerem, quando eu crescer." O garoto de quatro anos de idade sorriu e voltou ao trabalho. Aquelas palavras tiveram um impacto tão grande nos pais que eles ficaram mudos. Então lágrimas começaram a escorrer de seus olhos. Embora ninguém tivesse falado nada, ambos sabiam o que precisava ser feito.
Naquela noite o pai tomou o avô pelas mãos e gentilmente conduziu-o à mesa da família. Dali para frente e até o final de seus dias ele comeu todas as refeições com a família. E por alguma razão, o marido e a esposa não se importavam mais quando um garfo caía, leite era derramado ou a toalha da mesa sujava...
(Autor Desconhecido)


O texto a seguir foi escrito por Audrey Hepburn, quando pediram que revelasse seus segredos de beleza.
1. Para ter lábios atraentes, diga palavras doces.
2. Para ter olhos belos, procure ver o lado bom das pessoas.
3. Para ter um corpo esguio, divida sua comida com os famintos.
4. Para ter cabelos bonitos, deixe uma criança passar seus dedos por eles pelo menos uma vez por dia.
5. Para ter boa postura, caminhe com a certeza de que nunca andará sozinho.
6. Pessoas, muito mais que coisas, devem ser restauradas, revividas, resgatadas e redimidas; jamais jogue alguém fora.
7. Lembre-se que, se alguma vez precisar de uma mão amiga, você a encontrará no final do seu braço. Ao ficamos mais velhos, descobrimos porque temos duas mãos, uma para ajudar a nós mesmos, a outra para ajudar o próximo.


O que significa ser bem-sucedido em nossos tão conturbados dias? “O sucesso é ser feliz”, diria Roberto Shinyashiki, renomado palestrante e escritor de vários livros de auto-ajuda. Esta visão particular nos gera outra questão: o que é “ser feliz” em nossos dias? Não raras vezes, ouvimos que ser feliz é, como diz aquela celebre frase muito escutada em finais de ano, ter “muito dinheiro no bolso” e “saúde pra dar e vender”. A última parte desta frase pode soar até como ironia, pois, no Brasil, se a saúde que se vende já não está lá muito boa, quanto mais a que se dá, esta nem se fala. Mas este é outro assunto.
Basicamente o que se tem é que ser feliz é poder crescer, “subir na vida”, em todas as áreas; afetiva, material e “espiritual”. É, para muitos, poder ser “O Maior”. Esta tem sido a mais ascendente finalidade da atual existência, como uma grande obsessão, pela qual o indivíduo respira, se move e sobrevive. Daí percebe-se que esta lógica possui uma dupla variabilidade, isto é; se para ter sucesso é preciso ser feliz, a recíproca não é menos verdadeira, quer dizer, ser feliz é ter sucesso.
Assim, chegamos ao contraponto que eu queria: o que significa ter sucesso e ser “o maior” à luz do Evangelho? Jesus dá a dica: “Se alguém quer ser o primeiro, será o último e servo de todos” (Mc. 9:35). Esta é a lógica do Reino de Deus, a qual os discípulos de Jesus ainda não haviam compreendido, pois discutiam entre si a respeito de quem haveria de ser “o maior”, e que, me parece, tem sido uma questão na qual a igreja e seus líderes ainda tropeçam muito, à medida que os mesmos têm aceitado submergir na lógica do poder, do dinheiro e da popularidade, ambicionando quase sempre o primeiro e não o último lugar, buscando os holofotes e não a “sombra”, aos pés de Jesus, que é quem merece toda honra. Desta forma, a igreja permite se persuadir pelo brio de sua cultura, e não consegue encharcar a mesma com os valores do Reino de Deus.
A semente do Reino dos céus é a menor de todas, como o grão de mostarda, que, quando cresce, fica maior que todas as outras hortaliças, tornando-se árvore. Sendo os menores é que seremos grandes, e grandes não de acordo com a ótica deste mundo perverso e seletivo, que precisa do reconhecimento e da glória para ser feliz, mas sim em conformidade com o conceito de grandeza de Jesus, não visando prêmio algum senão a salvação, nosso bem maior, que não é prêmio, mas é Graça, e Graça Divina, Graça especial para todo que Nele crer e permanecer, e, portanto, Graça que devemos viver e proclamar, Nele.

Autor: Jonathan Menezes


"E o Senhor lhe dava a vitória por onde quer que ia" (2 Samuel 8:6).
William Barclay sugere que "Paracleto" venha do termo usado para uma pessoa que acompanhava um exército grego. Era sua tarefa encorajar os soldados quando eles perdiam uma batalha.
Ele, quando isso acontecia, dizia: "Vocês perderam apenas uma batalha e não a guerra inteira." Ele não levava armas mas servia de motivador e conselheiro na hora das provas. O paracleto diria após uma vitória: "Vocês ganharam apenas uma batalha e não a guerra inteira."
Da mesma forma Deus, através do Espírito Santo, encoraja-nos a seguir firmes e confiantes durante todas as batalhas.
A nossa vida é cercada de grandes batalhas. Temos de saber enfrentá-las e estar preparados tanto para as vitórias como para as derrotas. Temos que crer que nenhuma das duas situações é definitiva e que Deus tem experiências a nos dar tanto em uma como em outra.
Às vezes nos vangloriamos pelas grandes conquistas e até esquecemos de que Deus esteve ao nosso lado nos ajudando em todos os momentos. Outras vezes nos deixamos abater por um repentino fracasso esquecendo de que Deus estava também ao nosso lado e que tudo servia para nossa edificação e crescimento espiritual. O que realmente importa é que, em qualquer situação, estejamos confiantes e louvando ao Senhor por tudo. Afinal, quando estamos caminhando no centro de Sua vontade, somos e seremos sempre "mais do que vencedores."
Somos filhos de Deus e desejamos ardentemente servi-Lo com toda determinação e prazer. As vitórias e derrotas fazem parte dessa caminhada. O Paracleto de Deus, o Seu Espírito, estará conosco e nos conduzirá em alegria. O coração do Senhor se regozijará e nós seremos muito felizes.
Perdendo ou ganhando batalhas, com o Senhor você sempre vencerá todas as guerras.
(Autor Desconhecido)


A raiz de quase todo fracasso espiritual é a desobediência nas pequenas coisas. Embora não pareça significativa no momento, cada desobediência, por menor que seja, é como uma fenda no muro da alma da pessoa. Através de cada pequena rachadura o ácido do mal penetra e começa a corroer os fundamentos de seu caráter espiritual. Ao longo do tempo sua vontade espiritual fica comprometida e, quando surge uma tentação, ela simplesmente não tem vontade de resistir. Para aqueles que não têm discernimento, pode parecer que a pessoa foi a raiz seca da desobediência que fez tudo.
Da mesma forma, cada ato de obediência, por menor que seja, reforça o fundamento do caráter espiritual da pessoa. Dia após dia ele é “... fortalecido(s) com poder pelo seu Espírito no homem interior...” (Ef 3.16). Quando uma tentação potencialmente avassaladora aparece, ela está preparada, pois, tendo sido obediente diante das tentações aparentemente insignificantes, sente-se agora capaz de obedecer no momento da crise.

O que nos ajuda a estabelecer as prioridades certas e a gerir bem o nosso tempo é a consciência de que só temos de trabalhar com o dia de hoje, pois o passado está irremediavelmente perdido, e o futuro é apenas uma possibilidade.

(Dorothy Kelley)


Certa vez, um tradicional e elegante príncipe, arrogante de sua realeza, foi fazer uma caçada em lugar distante e montanhoso.
A certa altura de seu longo e tenebroso caminho, viu um desgastado velho eremita, sentado frente a uma gruta, atento a uma caveira que tinha em suas mãos. Indignado porque o velho eremita não lhe prestou a menor atenção – nem mesmo levantou os olhos – muito menos a devida reverência à pomposa comitiva.
Com toda sua arrogância, o erudito Príncipe aproximou-se do velho solitário e disse-lhe:
- Velho rude, desengonçado e zombeteiro, entre para a gruta. Levanta-te quando por ti passa o teu notável Senhor! Porém, antes que cumpra as minhas determinações, responda-me o que podes ver de tão interessante nessa tão pobre e inútil caveira, que chegas até te abstrair quando da passagem de um nobre Príncipe de tantos fidalgos?
O eremita, com toda serenidade, erguendo para ele os olhos mansos, respondeu em voz singularmente clara e sonora:
- Perdoa-me senhor. Eu estava procurando descobrir se esta caveira tinha numa época pertencido a um mendigo ou a um nobre príncipe, pois, por mais que analise, não consigo distinguir de quem seja.
Nestes ossos nada há que diga se a carne e a pele que sua época revestiu, repousou em travesseiros de plumas ou de pedras brutas colhidas nas duras asperezas das estradas.
No entanto, eu não saberia dizer se deveria levantar-me ou conservar-me sentado diante daquele que, em vida, foi o honroso dono deste crânio anônimo.
O Príncipe, cabisbaixo, prosseguiu o seu caminho.
A caçada naquele dia, porém, não teve qualquer encanto, Vaz que a lição da caveira abatera o seu orgulho, fazendo-o refletir profundamente que no hemisfério terrestre nunca devemos pisar na singeleza de ninguém.

Ser Cristão não é fazer certas coisas, mas fazer tudo de uma maneira certa.
(Mary Crowley)


Errar é humano ; no entanto, reconhecer a própria fragilidade é um dom de Deus. Só não erra quem não faz nada nem se envolve com novos projetos. Por isso, tenha coragem de tentar, mesmo que, algumas vezes, isso lhe custe caro. Siga em frente, enfrentando novos desafios e situações, que serão boas oportunidades de crescimento.
Meditação:
Se errar, você precisa ter a humildade de reconhecer sua falta perante Deus e as pessoas.
Confirmação:
“Antes de ser humilhado, andava errado, mas agora guardo tua palavra”.
(Sl 119[118],67)


Um milésimo de segundo pode significar a glória ou o fracasso para um atleta. Um segundo pode significar a vida ou a morte para quem enfrenta o perigo. Um minuto pode significar o início de uma viagem ou um bilhete perdido para quem vai tomar o trem. Uma hora pode significar a concretização de um sonho ou o desvanecer dele para o aluno que está fazendo uma prova. Um dia pode significar a vitória ou a derrota para um candidato político. Um mês pode significar esperança ou angústia para uma mãe grávida que aguarda seu filho nascer. Um ano pode significar a prisão ou a liberdade para um encarcerado. Uma vida pode significar a felicidade de viver eternamente com Cristo ou a perdição eterna.
Todos nós, seres humanos, vivemos irremediavelmente presos a esta realidade chamada “tempo”. Não existe nada mais representativo da nossa efêmera existência neste planeta do que o tempo. Ele existe para todos, grandes e pequenos, negros e brancos, ricos e pobres, jovens e velhos. Todos nós somos permanentemente reféns da nossa limitada existência delimitada pelo tempo.
O sábio rei Salomão em seu famoso livro, Eclesiastes, escreveu: “Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derribar, e tempo de edificar; tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar; tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora; tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de odiar;
tempo de guerra, e tempo de PAZ Tudo fez Deus formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, ainda que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.”
Portanto, quer queiramos ou não, o tempo é algo que não podemos controlar, pois, como disse o salmista: “a vida passa, e nós voamos”. Assim, é natural que o homem vá vivendo a vida sem parar para refletir sobre o tempo, pois se é algo intangível e incontrolável, porque refletir sobre ele? Mas, no mesmo 90, o salmista reconhece a sua limitação humana e pede a Deus: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.”
Todos os dias Deus coloca em nossa conta 24 horas e zera este saldo ao seu final. O que temos feito destes depósitos diários? Temos investido, aplicado na obra de Deus ou temos gasto em coisas sem valor, efêmeras e passageiras? Reflitamos sobre isto e que durante o próximo ano possamos contar os nossos dias e entregar as primícias deles para o autor da vida, senhor do tempo e pai da eternidade.
(Autor Desconhecido)


Quando me lembro de todas aquelas preocupações me vem à memória aquele homem idoso que no seu leito de morte afirmou que teve muitos problemas no decorrer de sua longa vida, problemas que nunca se concretizaram. Winston Churchill

O único habitante de uma pequeníssima ilha tem muito pouco espaço para se movimentar. Quando você se preocupa, você se torna exatamente como o habitante dessa ilha. A preocupação o mantém confinado em apenas uma cadeia de pensamentos - um filho que está chegando tarde a casa, uma informação que lhe falta no seu projeto, uma certa desconfiança que lhe traz insônia e insegurança, um ente querido enfermo, um problema financeiro...
A preocupação faz com que o seu corpo se mantenha em constante estado de tensão e ansiedade. Mesmo quando você crê que o simples fato de se preocupar irá de alguma maneira ajudá-lo em direção a uma solução, a verdade é que o que você está fazendo é apenas estender ou esticar a futilidade de tal atitude.
Faça a si mesmo esta pergunta: O que posso fazer para mudar essa situação? O que talvez você irá descobrir é que não existe nada que você possa fazer; e se não há nada que possa fazer, continuar a se preocupar é nada mais do que perda de tempo, de energia e de saúde. Estudos recentes nessa área indicam que de todas as preocupações que passam por nossa mente, apenas 8% são legitimas. Pois isso que a ciência nos está afirmando hoje, Deus já nos assegurou há muito tempo!

Para Meditação:
Disse Jesus: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Mateus 6:25,26

(Nélio DaSilva)


"Meu amigo não voltou do campo de batalha, senhor. Solicito permissão para ir buscá-lo", disse um soldado ao seu tenente. "Permissão negada" replicou o oficial "Não quero que arrisque a sua vida por um homem que provavelmente está morto". O soldado, ignorando a proibição, saiu, e uma hora mais tarde, regressou mortalmente ferido, transportando o cadáver de seu amigo. O oficial estava furioso. "Já tinha te dito que ele estava morto... Agora eu perdi dois homens! Diga me, valeu a pena ir lá para trazer um cadáver?” E o soldado respondeu: “Claro que sim, senhor. Pois quando eu o encontrei, ele ainda estava vivo e ainda pode me dizer: 'Tinha certeza que você viria!!!'”. O verdadeiro amigo é aquele que vem, quando todos vão embora.
(Autor Desconhecido)


Um certo castor estava querendo montar sua casa. Andou em várias direções, procurando o melhor lugar. Encontrou um velho tronco de árvore, com um grande buraco, onde havia espaço para ele e sua esposa passarem o longo inverno que se aproximava. Ele pensou: -Aqui é o lugar ideal. Não precisarei trabalhar muito, pois o lugar está pronto. Mas, ao entrar naquele buraco, viu que dentro dele havia uma grande colméia e, assim que as abelhas o virão, logo voaram em sua direção, enchendo-o de picadas. Assustado, ele continuou caminhando até encontrar uma caverna em meio às rochas. Novamente pensou: -Aqui é melhor do que o tronco da árvore. E mais espaçoso e não terei trabalho algum para montar aqui a minha casa. E logo foi entrando. Mas, de repente, notou que havia alguém lá dentro. Antes que pudesse acostumar seus olhos com o escuro do interior da caverna, foi surpreendido por um grande barulho. Assustado, correu para fora, seguido por um grande urso, que ali se preparava para hibernar. Cansado e frustrado, ele correu até chegar à beira de um grande e bonito lago. Mas ele estava tão mal que nem percebeu a beleza que o cercava. Bebeu um pouco de água e pensou: -Pobre de mim. Não encontrei nenhum lugar para passar o inverno, e só me sobrou este lago. Mas quem seria louco o suficiente de querer passar o inverno tão perto destas águas frias? Foi aí que teve uma idéia: iria construir um dique e ali faria sua casa. E foi o que fez. Após semanas de trabalho ele concluiu sua obra. Sua casa ficou no meio do lago, protegida pelo dique. Estava cansado, mas feliz. Sabia que as frias águas não poderiam perturbá-lo e, ao mesmo tempo, seriam uma proteção contra todos aqueles que quisessem fazer-lhe mal. Na vida cristã, muitas vezes, queremos a aparente segurança dos troncos ocos e das cavernas, onde não precisamos nos esforçar, mas não percebemos que estes locais escondem grandes perigos para nós. Nesta hora, temos que seguir a direção de Deus, e pode ser que Ele nos leve para lugares aparentemente ruins, como as águas frias do lago. Mas se Ele nos dirige para lá é para que aprendamos que a vitória só se conquista quando conseguimos enfrentar com o nosso trabalho as adversidades, usando-as como proteção contra nossos inimigos. Nesta hora, veremos que valeu a pena todo esforço e que estamos realmente seguros e protegidos contra todas as forças que quiserem nos destruir. E ai poderemos contemplar toda a beleza que está ao redor das águas frias do lago e poderemos nos alegrar por vermos que o Deus que nos levou até ali está ao nosso lado, protegendo-nos de uma forma que nunca imaginamos.

Quando dizes: “não posso resolver as coisas...”
Deus te diz: “Eu dirijo teus passos” (Provérbios 3:5-6)

Quando dizes: “é impossível...”
Deus te diz: “Tudo é possível” (Lucas 18:27)

Quando dizes: “me sinto muito só...”
Deus te diz: “Não te deixarei, nem te desampararei (Hebreus 13:5)

Quando dizes: “eu não posso fazer...”
Deus te diz: “Você pode fazer tudo” (Filipenses 4:13)

Quando dizes: “não mereço perdão...”
Deus te diz: “Eu te perdôo” (Romanos 8:1)

Quando dizes: “tenho medo...”
Deus te diz: “Não temas, porque eu estou contigo” (Isaías 41:10)

Quando dizes: “estou muito cansado...”
Deus te diz: “Eu te farei descansar” (Mateus 11:28-30)

Quando dizes: “ninguém me ama de verdade...”
Deus te diz: “Eu te amo” (João 3:16)

Quando dizes: “não sei como seguir...”
Deus te diz: “Eu te ensinarei o caminho” (Salmo 32:8)

Quando te perguntas: “que caminho me conduzirá a Deus...?”
Deus te diz: “A meu filho amado, JESUS CRISTO” (1º Timóteo 2:5)

...E quando quiseres saber tudo o que Deus quer te dizer... Leia a Bíblia (2º Timóteo 3:15-17)


Enquanto eu escrevia este livro, minha filha Jenna e eu passamos vários dias na velha cidade de Jerusalém. (Eu prometera levar cada uma de minhas filhas a Jerusalém, quando completassem doze anos.) Uma tarde, quando saíamos pelo portão Jafa, vimo-nos atrás de uma família de judeus ortodoxos — um pai e suas três filhinhas. Uma das garotas, talvez com quatro ou cinco anos, ficou alguns passos atrás, e não pôde enxergar o pai. "Aba!", chamou ela. Ele parou e olhou. Só então compreendeu que se afastara de sua filha. "Aba!" chamou ela, novamente. Ele a localizou, e imediatamente estendeu-lhe a mão. Ela a segurou, e eu, mentalmente, tomei nota enquanto eles prosseguiam. Eu queria ver as ações de um aba.
Ele segurou firmemente a mão da filha, enquanto desciam a rampa. Quando ele parou numa rua movimentada, ela caminhou pelo meio-fio, e ele a puxou de volta. Quando o semáforo abriu, ele guiou-a juntamente com suas irmãs através do cruzamento. No meio da rua, ele abaixou-se, tomou-a nos braços, e continuou a jornada.
Não é disso que todos precisamos? Um aba que ouve quando chamamos? Que segura nossa mão, quando estamos fracos? Que nos guia através dos cruzamentos agitados da vida? Não carecemos todos de um aba que nos tome nos braços, e nos carregue para casa? Todos precisamos de um pai.

Max Lucado "A Grande Casa de Deus"

Seguidores

Por sugestão de uma amiga, resolvi fazer esse blog e nele pretendo postar as inúmeras mensagens que já selecionamos para colocar nas edições desses mais de dois anos do Informativo TC. Mensagens essas que edificaram minha vida e a de muitas pessoas (segundo relatos recebidos) e que agora poderão edificar a sua também. E porque o nome Peniel? Como o título já diz, Peniel é estar FACE A FACE COM DEUS, e nosso desejo é que através deste blog, você possa ter um encontro real com o Senhor e assim como Jacó, possa ter sua vida transformada.















Postagens